Que Banda é essa?



“Vou ensaiar com a minha banda lá em casa”. Você provavelmente já ouviu alguém dizer uma frase parecida com essa. E antes que a pessoa possa explicar melhor “que banda é essa”, logo nos remetemos a algumas “bandas”, como banda de rock, banda de sertanejo, banda de pagode... Mas que Banda é essa?


O termo Banda


A verdade é que o termo “banda”, por si só, é muito genérico, mas ele já nos remete a um grupo de pessoas que se reúne para tocar música, seja qual for o estilo musical. Porém, o termo “Banda de Música” se firmou no Brasil como a denominação de um grupo musical mais específico, ou seja, um grupo formado por instrumentos de sopro (clarinetas, saxofones, trombones, etc) e percussão (incluindo sobretudo alguns instrumentos fundamentais como a caixa – por vezes chamada também de tarol – os pratos e o bumbo).


Na década de 60, Chico Buarque já entoava em seus versos: “Estava à toa na vida, o meu amor me chamou, pra ver a banda passar, cantando coisas de amor”. Ele se referia a essa mesma “Banda de Música” que mantém até hoje sua tradição musical em diversas cidades do interior, tocando em coretos e praças, marcando presença em festas cívicas ou religiosas, inaugurações e até enterros. A apresentação no formato de desfile é a mais usual, embora por vezes se apresenta também em local fixo.


História das Bandas de Musica


As primeiras Bandas de Música surgiram no século XVIII, no Rio de Janeiro, formadas por barbeiros - escravos em sua maioria - que tocavam fandangos, dobrados e quadrilhas, em festas religiosas e profanas. Em 1831 foram criadas as Bandas de Música da Guarda Nacional, e esta arte se espalha pelo país. Em 1896, Anacleto de Medeiros, funda a mais famosa de todas as Bandas de Música: a do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro.


Foto da banda “Bom Jesus de Matozinhos de Ouro Preto” (1933)



A partir do século XX, as Bandas de Música se transformaram em uma das mais populares manifestações da cultura nacional: onde havia um coreto, existia uma bandinha, orgulho da cidade. Nas Bandas, formaram-se músicos profissionais e amadores, eruditos e populares, como Patápio Silva, Anacleto de Medeiros e Altamiro Carrilho, entre muitos outros.



Partitura do sax alto do dobrado Saudade de Minha Terra. Cópia de Ovídio Maranhão em 18/08/1923



O Dobrado


O Dobrado é um estilo ou gênero musical genuinamente brasileiro embora seja derivado das marchas militares. É uma peça musical escrita originalmente para acompanhar o desfile dos militares. No Brasil desenvolveram características próprias que originaram o gênero Dobrado, popularizando-se a partir da metade do século XIX. Com a multiplicação das bandas de música em todo o interior do Brasil, o Dobrado se espalhou pelo país e tornou-se símbolo de comemoração, festa e solenidade nas cidades. São compostos geralmente em forma de homenagem para pessoas, datas, lugares ou comemorações.



Para ouvir: Dobrado “Jubileu”, de Anacleto de Medeiros



As Bandas na atualidade


Embora as marchas e dobrados sejam ainda marcantes no repertório das bandas, esses grupos tem passado por muitas transformações com relação ao repertório. Infelizmente muitas bandas tem deixado de tocar os dobrados, optando por repertórios mais conhecidos do grande público. É fato de que os dobrados são músicas tecnicamente mais difíceis, necessitando para isso que os estudantes de música estejam preparados para tocar esse tipo de repertório somente depois de um bom período de estudos. Mas também é fato que muitas bandas tem deixado de tocar Dobrados não por questões técnicas, mas por se verem muitas vezes forçadas a acatar o apelo musical das plateias.


Muitos maestros e lideranças de bandas tem questionado essa situação, e com razão, visto que os dobrados representam um patrimônio musical brasileiro importantíssimo e que precisa ser preservado não somente nos acervos mas também na memória das pessoas. No Brasil, algumas iniciativas importantes tem sido realizadas, como por exemplo o programa de bandas da Funarte que promoveu a reedição e publicação de partituras com disponibilização gratuita na internet. Infelizmente muitas edições antigas não estão mais disponíveis e há ainda muito trabalho a ser feito em termos de conservação e disponibilização desse repertório. Muitas partituras antigas também são dificilmente identificadas, pois boa parte não possui informações referente ao autor ou editora. Um trabalho importante de restauração que cabe agora às novas gerações dar continuidade.


Fontes e materiais complementares:


História das Bandas de Música (Funarte):

https://www.funarte.gov.br/historia-das-bandas-de-musica/#:~:text=Surgem%2C%20no%20Rio%20de%20Janeiro,em%20festas%20religiosas%20e%20profanas.&text=S%C3%A3o%20criadas%20as%20Bandas%20de,arte%20se%20espalha%20pelo%20pa%C3%ADs.


Dobrado (Gênero Musical):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Dobrado_(g%C3%AAnero_musical)


Música e História: um estudo sobre as bandas de música civis e suas apropriações militares

http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/viewFile/5707/4284


O arquivo de partituras da banda de música da Polícia Militar do Ceará (1897-1932):

https://www.anppom.com.br/congressos/index.php/28anppom/manaus2018/paper/viewFile/5197/2007